quarta, 18 abril 2018 15:21

Sequenciação terapêutica no cancro do pulmão de células não pequenas

Diversos biomarcadores surgiram nos últimos tempos como marcadores preditivos e prognósticos para o cancro do pulmão de células não pequenas (CPCNP). O aumento da compreensão da complexa biologia do CPCNP e a identificação de subgrupos genéticos e moleculares levaram ao desenvolvimento de inibidores específicos para direcionar essas mutações condutoras oncogénicas. Foi exatamente sobre este tema que a Dr.ª Alessandra Bearz, do Centro di Riferimento Oncologico Di Aviano, Itália, falou nos Encontros da Primavera 2018. Assista ao vídeo.

Os inibidores de ALK de segunda geração foram desenvolvidos para superar a resistência ao crizotinib, através de uma melhor penetração no sistema nervoso central (SNC) e com atividade contra as mutações secundárias do gatekeeper. Ceritinib, alectinib, lorlatinib e brigatinib foram desenhados para resgatar doentes após a resistência ao crizotinib.

No entanto, desde a alta incidência de metástase do SNC nos doentes com fusão ALK a partir do diagnóstico, a questão é usar esses inibidores de ALK de segunda geração desde o início como primeira linha para manter o SNC limpo e prevenir a progressão da metástase, bem como o sequenciamento correto e o uso de biópsia de tecido e líquido para guiar uma sequenciação inteligente.

Vídeo

PUB

Planning

Onco Planning

Newsletter

Receba a nossa newsletter.

APOIOS:
.......................

BMSMerckMSDPfizerRocheTakeda Oncology