segunda, 07 maio 2018 15:48

CPCNP: quimioterapia pembrolizumab-pemetrexed-platina reduz risco de morte para metade em comparação com quimioterapia isolada

A MSD anunciou recentemente os resultados do KEYNOTE-189, um estudo piloto de Fase III que avalia pembrolizumab, terapia anti-PD-1 da MSD, em combinação com pemetrexed e cisplatina ou carboplatina para o tratamento de primeira linha do cancro do pulmão de células não-pequenas (CPCNP) metastático. Os resultados demonstraram que a combinação de quimioterapia pembrolizumab-pemetrexed-platina melhorou significativamente a sobrevivência global (OS), reduzindo o risco de morte para metade em comparação com a quimioterapia isolada.

Em análises exploratórias pré-especificadas, foi observado um benefício na OS independentemente da expressão de PD-L1 nas três categorias de PD-L1 avaliadas: doentes cujos tumores não expressam PD-L1; doentes cujos tumores apresentam um tumour proportion score (TPS) para PD-L1 de 1-49%; e doentes que tiveram um TPS ≥ 50%. A adição de pembrolizumab à quimioterapia com pemetrexed mais platina também alcançou uma melhoria significativa na sobrevivência livre de progressão (PFS), com uma redução no risco de progressão ou morte de quase metade nos doentes do braço da combinação pembrolizumab, comparado com a quimioterapia isolada. A melhoria da PFS no grupo de combinação pembrolizumab foi observada em doentes cujos tumores foram negativos para PD-L1; em doentes com um TPS de 1-49%; e em doentes com TPS ≥ 50%. Estes resultados foram apresentados numa sessão plenária no Encontro Anual da American Association for Cancer Research (AACR) 2018 (Resumo #CT075), que decorreu em abril, com publicação simultânea no New England Journal of Medicine.

"Neste ensaio, pembrolizumab em combinação com quimioterapia com pemetrexed e platina, comparado com a quimioterapia isoladamente, prolongou a sobrevivência global e sobrevivência livre de progressão em doentes com CPCNP, independentemente da expressão de PD-L1", refere a Dr.ª Leena Gandhi, diretora de Oncologia Médica Torácica do Perlmutter Cancer Center da NYU Langone e principal autora do artigo do New England Journal of Medicine. "Há uma boa razão científica para combinar pembrolizumab com quimioterapia com pemetrexed e platina, e estes dados clínicos sugerem agora essa combinação como um novo tratamento padrão para o tratamento de primeira linha dos doentes com cancro do pulmão de células não-pequenas não escamoso".  

"O nosso objetivo é prolongar a vida de doentes com cancro de pulmão e os resultados inequívocos de sobrevivência do KEYNOTE-189 demonstram que o risco de morte foi reduzido para metade no braço de pembrolizumab, sendo importantes não apenas para os doentes, mas também para a comunidade médica", afirma o Dr. Roger M. Perlmutter, presidente da MSD Research Laboratories". Os resultados deste estudo têm o potencial de mudar o paradigma de tratamento do CPCNP não-escamoso em primeira linha, incluindo doentes cujos tumores são negativos para PD-L1 ou que não foram testados".  

Pembrolizumab é a primeira imunoterapia a prolongar significativamente a sobrevivência de doentes com CPCNP não-escamoso em combinação com quimioterapia como tratamento de primeira linha. O KEYNOTE-189 é o estudo confirmatório para KEYNOTE-021 (Coorte G), um estudo de Fase II que fez de pembrolizumab a única terapia anti-PD-1 aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) em combinação com quimioterapia (pemetrexed mais carboplatina) para o tratamento de primeira linha de doentes com CPCNP não-escamoso metastático, independentemente da expressão de PD-L1. A MSD está a trabalhar para enviar dados do KEYNOTE-189 para as agências reguladoras nos Estados Unidos e em todo o mundo.

A MSD tem um extenso programa de desenvolvimento clínico em cancro do pulmão e está a avançar em vários estudos de registo com pembrolizumab em combinação com outros tratamentos e em monoterapia. O programa, que envolve quase 9.000 doentes, avalia o pembrolizumab em diferentes perfis e estadios da doença.

“A realidade é que ainda existe uma necessidade significativa de opções de tratamento para doentes com cancro de pulmão. Na Fundação de Cancro de Pulmão Bonnie J. Addario (ALCF) dedicamo-nos exclusivamente à erradicação do cancro do pulmão pela pesquisa, deteção precoce, educação e tratamento. E o benefício de sobrevivência alcançado pela combinação pembrolizumab no estudo KEYNOTE-189 representa um avanço significativo que pode oferecer esperança a doentes recém-diagnosticados com um dos tipos de cancro mais comuns e letais”, sublinha Bonnie J. Addario, um sobrevivente de cancro do pulmão há 14 anos e fundador da ALCF.

PUB

GESCAT

Planning

Onco Planning

Newsletter

Receba a nossa newsletter.

APOIOS:
.......................

BMSMerckMSDPfizerRocheTakeda Oncology