Opinião

O cancro da mama é o tumor maligno mais frequente entre a população feminina a nível mundial. Na Europa, estima-se que haja cerca de 90 novos casos por ano em cada 100.000 habitantes. Em Portugal, os números são semelhantes e, embora o prognóstico seja muito favorável, com cerca de 85% das mulheres portuguesas a sobreviver 5 anos após o diagnóstico da doença, mantém-se a necessidade de desenvolver tratamentos cada vez mais eficazes, sobretudo para as formas mais agressivas desta neoplasia.

O Registo Oncológico Nacional (RON) é um registo centralizado que assenta numa única plataforma eletrónica, cuja principal finalidade é reunir e analisar os dados de todos os doentes oncológicos residentes em Portugal continental e nas regiões autónomas. Estes registos permitem monitorizar o trabalho das instituições, a eficácia dos rastreios realizados e das terapêuticas, bem como a epidemiologia, incidência e morbilidade da doença oncológica, dados estes essenciais para a investigação neste campo e para alocar recursos e identificar problemas.

O tromboembolismo venoso (TEV), entidade que engloba a trombose venosa profunda (TVP) e a embolia pulmonar (EP) constitui uma das três principais causas de morte cardiovascular no mundo. Trata-se, genericamente, de uma situação clínica provocada pela formação de coágulos no sistema venoso (habitualmente dos membros inferiores) que provocam a sua obstrução (TVP) e, em cerca de 25-50% dos casos, a sua posterior fragmentação e progressão (embolização) para o sistema arterial pulmonar (EP).

Um dos desafios e assuntos pendentes da Oncologia em Portugal é a incorporação da gestão da big data. Existem empresas que já o exploram, mas o setor da saúde ainda não adotou completamente esta onda, contudo existe uma grande quantidade de dados por parte da clínicas e dos hospitais e que não se tira partido em benefício último do doente.

Pág. 1 de 5

PUB

Planning

Onco Planning

Newsletter

Receba a nossa newsletter.

APOIOS:
.......................

astellasBMSMerckMSDPfizerRoche