Atualidade

Portugal não tem estratégia definida para investigação em Oncologia Pediátrica

10 Set. 2019

Segundo o relatório da Direção-Geral da Saúde “Saúde Infantil e Juvenil”, de 2018, as neoplasias, apesar de raras, são a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes, sendo responsáveis por 32% da mortalidade entre os cinco e os 14 anos e por 22% da mortalidade entre os 15 e os 18 anos. No entanto, os dados não chegam para perspetivar o futuro da Oncologia Pediátrica, que teve a sua última grande avaliação estatística em 2005 e que apontava, na altura, para cerca de 350 novos casos por ano. Por isso, no mês de sensibilização para o cancro infantil, a Fundação Rui Osório de Castro, que comemora este ano os seus 10 anos, apela à importância da existência de um registo nacional e da definição de uma estratégia nacional para a Oncologia Pediátrica.

Por favor faça ou registe-se para aceder a este conteúdo

Newsletter

PUB

 

Apoio


BayerBMSMerckMSDPfizer OncologyRocheTakeda